Projecto “Metro de Superfície de Luanda” arranca em 2022 e primeira fase termina em 2023 “populares com vozes diferentes”

O projecto de construção do “Metro de Superfície de Luanda”, cujas obras devem iniciar no próximo ano de 2022, será concluído a primeira fase em 2023 e vai contempla quatro linhas “Amarela, Vermelha, Verde e Azul” a empreitada terá um total de 149 quilómetros de distancia, o anunciou foi feito ontem pelo ministro dos Transportes, Ricardo de Abreu na cerimónia de abertura da conferência internacional sobre o projecto “Metro de Superfície de Luanda”. Numa altura em que alguns populares não acreditam na iniciativa, sendo que outras dão o beneficio da duvida.

Construção do metro de Luanda só em 2022 numa Parceria Público-Privada

A obra que será feito numa parceria Público Privada e que vai envolver agentes que garantam uma execução rigorosa das várias componentes associadas ao investimento.

O ministro dos Transportes, Ricardo de Abreu, esclareceu que a intenção é, até ao final deste ano, criar-se todas as condições, incluindo a constituição da Sociedade de Propósitos Específicos(SPE) e seus investidores, para o arranque do projecto em 2022 e assegurar que até 2023 se conclua a primeira fase.

Entretanto a empreitada terá 4 linhas sendo que as mesmas serão chamadas de “Linha Amarela, linha vermelha, linha verde e linha azul”

Neste sentido a linha amarela que por sinal é a primeira a ser construída, vai sair do Kilamba, passando pelo traçado BRT, Estádio 11 de Novembro, Sapu, Estalagem, Grafanil, Estrada de Catete, Unidade Operativa até à Tourada. Prosseguindo até à zona do Aeroporto, indo até ao Prenda e ao Zamba 2. Daí segue para a Nova Marginal até chegar ao Porto de Luanda. Já a Linha Vermelha sairá do separador central da Avenida Fidel Castro, numa rota de aproximadamente 60 quilómetros, de Cacuaco para o Benfica, enquanto a Linha Verde vai ligar Cacuaco ao Porto de Luanda. A Linha Azul vai sair do Zamba 2, conectar com a Linha Amarela, passando pela Nova Marginal, até ao Benfica.

O ministro dos Transportes Ricardo de Abreu recordou no lançamento do projecto, que até ao momento foram desenvolvidos trabalhos que permitiram estabelecer dois Memorandos de Entendimento, que se constituem como base para o desenvolvimento da parceria e para a construção do Sistema do Metro de Superfície, abrangendo não só a componente tecnológica, como também a de formação, com um parceiro de experiência comprovada e de renome internacional, que é a Siemens.

Segundo Ricardo de Abreu, com a publicação do Despacho Presidencial nº 42/21, de 15 de Abril, criaram-se os mecanismos jurídicos legais necessários que permitiram o lançamento do projecto, ainda durante este ano, como forma de ter um sistema em operação, no menor espaço de tempo possível.

O ministro sublinhou que caberá aos privados, em parceria com o Estado, assegurar os melhores mecanismos legais ou regulamentares para que o processo seja feito em segurança e beneficiar quem for deslocado do sítio onde actualmente reside.

“Tal como a construção do sistema, que será executado de forma faseada, deverá o modelo de Parceria Público Privada ser feito de acordo com as quatro fases de implementação da rede básica do Metro de Superfície”, sublinhou Ricardo de Abreu.

População com vozes diferentes

Numa ronda efectuada pelo Jornal O Apostolado, em alguns bairros da cidade capital, alguns populares são de opinião que este projecto é só mais uma ideia para o boy dormir e para fase eleitoral.

“O governo do MPLA já apresentou varias ideias, projectos e iniciativas em fase eleitoral que este é mais uma delas, não acredito em nada que o executivo apresenta” disse o senhor Manuel Domingos

Já Ricardo Adão e José Pedro, afirmaram que “as estradas, as pontes, as cidades e as centralidades construídas no país inteiro ainda não estão concluídas, e já estão a falar em metro de superfície para Luanda, é só mais uma mentira” desabafaram.

Entretanto outras pessoas disseram que “nesta fase eleitoral o executivo do MPLA aparece sempre com uma novidade para a população se desviar dos principais problemas que preocupam as populações, e neste momento nós população angolana já estamos com os olhos aberto, e, só vamos votar no melhor” lembraram alguns populares.

Sendo que outros populares ouvidos pela nossa Reportagem são de opinião que é melhor esperar para ver e não fazer juizo de volares.

“Vamos dar o beneficio da duvida ao executivo de João Lourenço para este projecto do metro de Superfície de Luanda, que se for concretizado será uma mais valia para todos nós”.

Por: Adão dos Santos

O Apostolado Nas Redes Sociais

Twitter O ApostoladoFacebook Jornal O Apostolado

Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria