Morreu guitarrista e fundador da banda Kassav, Jacob Desvarieux

O guitarrista e fundador da banda francesa Kassav Jacob Desvarieux, de 65 anos, morreu na sexta-feira devido à covid-19, anunciou a produtora do grupo.

Jacob dos Kassav comemora aniversário em Angola | Portal de Angola
Jacob Desvarieux

Jacob Desvarieux naceu em Paris, em 1955, Desvarieux foi hospitalizado a 12 de julho depois de ter contraído covid-19 e colocado em coma induzido, devido a um estado de saúde debilitado, na sequência de um transplante renal, indicou a empresa.

A banda Fundada em 1979 pelos músicos Pierre-Edouard Decimus e Freddy Marshall, a Kassav lançou o primeiro álbum “Love and Ka dance” em 1979, e atingiu o auge da popularidade, com o ‘zouk’, estilo de música que deu origem a êxitos mundiais cantados em crioulo, como “Zouk la sé sèl médikaman nou ni” (1984), ou “Syé bwa” (1987). Recordar que a banda cancelou recentemente todos os concertos programados.

O cantor senegalês Youssou Ndour, numa mensagem divulgada na sexta-feira à noite, na rede social Twitter. disse que “As Índias Ocidentais, África e a música acabam de perder um dos seus maiores embaixadores. Jacob, graças à sua arte, aproximou as Índias Ocidentais e a África. Dakar, onde viveste, chora por ti. Amigo de despedida”, escreveu.

Em 2019, os Kassav assinalar os 40 anos da banda, realizando um concerto no no Campo Pequeno, em Lisboa, no âmbito da digressão mundial em que foi marcado pelo lançamento de um documentário na Netflix.

KASSAV E AFRICA

O grupo Kassav, já realizou inúmeras digressões em África, atingiu o pico da popularidade no final da década de 1980.

O primeiro contacto da banda Kassav com o público angolano data de 1984, num concerto que reuniu mais de 20 mil pessoas no Estádio dos Coqueiros.

Cinco anos depois regressam para um concerto no Estádio da Cidadela. Em 2006, a banda regressa para animar a 2ª edição do Festival Super Bock Super Rock, realizado no Estádio da Cidadela Desportiva, ainda com Patrick St. Eloi, falecido em Setembro de 2010.

Seguiram-se os concertos em 2010, e em 2012,  no “Grand Mechant Zouk”, que reuniu a nata do Zouk na Cidadela Desportiva, com Guilou Lafarge, Luc Leandry, Eric Brouta, Frédéric Caracas, Harry Diboula, Warren, Dédé Saint Prix, Princess Lover, Fanny J, por Angola Eduardo Paím e Yola Araújo.

A sequência de espectáculos, não menos importantes em Angola, se inscrevem os de 2013, 2014 e 2015.

O seu primeiro álbum intitulado “Love and ka dance” foi lançado no início de 1980 e o segundo – “Laguémwen”, no mesmo ano. Da lista, constam ainda “Passeport”, “Ayé”, “Noula” e “Yélélé”, “Majestikzouk”, “Tékit Izi” e “Difé”.

Ao longo da sua carreira, já foram distinguidos com vários discos de ouro e de platina. Já estiveram em vários países, tais como Angola, Argélia, RDC, Níger, Burkina Faso, Togo, Benin, Gabão, Côte d´Ivoire, Portugal, França, Rússia, Seychelles, Mayotes, Comores, Canadá e Estados Unidos .

Uma das características do grupo é a “independência” dos seus integrantes para o lançamento de discos a solo, mas com a participação de todo o colectivo.

Deste modo, Jacob lançou “Oh Madiana”, “Banzawa” e “Euphrazine Blues”, seguido pelo George Décimus (“Avec Kassav et cie” e “La vie”), Patrick Saint-Eloi (“Misikce lanmou”, “Zouké”, “Bizouk” e “Loutans”), Jean-Philippe Marthély (“Ti coq”, “Rété”, “Black Jack”, “Si sé taw” e “Opeyi”), Jean-Claude Naimro (“Enbalatè” e “Digital Dread”), Jocelyne Béroard (“Siwo” e “Milans”).

Com agências

O Apostolado Nas Redes Sociais

Twitter O ApostoladoFacebook Jornal O Apostolado

Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria