Dinho Chigunji cria nova força Politica em Angola

O Ex-ministro da Hotelaria e turismo nos anos de 2004 a 2008, Eduardo Jonatão Samuel Chigunji, apresentou na ultima semana, a sua mais nova força politica denomina Partido Nacionalista para a Justiça em Angola (NJANGO).

A imagem pode conter: 2 pessoas, incluindo Dinho Chingunji, pessoas em pé, texto que diz "1' CONFERENCIA DE IMPRENSA DO PROJECTO POLITICO DO PAR TIDO NACIONALISTA PARA USTIÇA EM Eng: Dinho Chinguji ANGOLA. -NJANGO LIBERDADE, SEGURANÇA IGUALDADE."
Membros do projecto politico NJANGO

Dinho Tchingunji, que falava em conferência de imprensa que marcou o lançamento oficial do Partido Nacional para Justiça em Angola (P-NJANGO), disse que a sua força política é “o melhor partido político civil, moderno, inovador e com sentido de Estado no país”.

Questionado sobre a pretensão da criação de mais um partido, o politico disse que, o seu projecto politico já existe a mais de nove anos.

O presidente do projecto político Partido – NJANGO, Dinho Tchingunji, disse, que a sua formação política surge para defender os interesses de mais de dois milhões de cidadãos angolanos indecisos. Segundo o político, os dois principais protagonistas da guerra civil em Angola, MPLA e UNITA, nunca se preocuparam em estar “ao lado de todos os angolanos”, preocupam-se apenas com os seus interesses.

Aquele antigo dirigente governamental, disse que não se pode falar de desenvolvimento em Angola, se a qualidade da educação primária, continuar a ser a que temos, assim como a saúde, saneamento e muito mais.

“Nós, NJANGO, portanto, somos o partido de equilíbrio ou estabilidade política, para facilitar o empenho e a coesão da nação, de forma a garantir os objectivos de construção nacional”,

De acordo com o antigo ministro da Hotelaria e Turismo do Governo de Unidade e Reconciliação Nacional – GURN, o surgimento do P-NJANGO é o começo de um verdadeiro compromisso do campo político para transformar a sorte de Angola, e abrir uma nova página em África, quebrando o estereótipo da imagem do continente.

“Não temos medo dos desafios futuros, alguns de nós já viram o pior e, portanto, estamos bem preparados para fazer a coisa certa, para unir este país, e ser uma grande nação entre os melhores do mundo”, destacou o político.

Por: Adão dos Santos

O Apostolado Nas Redes Sociais

Twitter O ApostoladoFacebook Jornal O Apostolado

Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria