Agentes do SIC acusados de despejar famílias na Centralidade do zango 5000

Os moradores da centralidade do Zango 5000, no Município de Viana, denunciaram o envolvimento de supostos agentes do SIC em Luanda, de despejo de famílias e ocupação de apartamentos na Centralidade em referência.

Centralidades: Imogestin ″congela″ vendas nos Zangos
Edifícios da Centralidade do Zango 5000

Na ultima semana o porta-voz do SIC-Geral, Manuel Aleluia, anunciou à RNA a detenção de três cidadão nacionais acusados de invadirem vários apartamentos na centralidade do zango 5000 e a recuperação de vários apartamentos.

“Prendemos três cidadãos nacionais que invadiram apartamentos e recuperamos 11 residências que estavam nas mãos de outras pessoas, ainda vamos continuar as diligências para prendermos outros cidadãos envolvidos na ocupação de residências”. Esclareceu o porta-voz do SIC.

Entretanto um grupo de 47 famílias residentes na centralidade do zango 5000, no edifico X257que viram seus familiares serem detidos, pelos agentes do SIC, denunciaram ao “Jornal O Apostolado” o envolvimento dos supostos agentes no esquema de invasão e apropriação das casas naquela centralidade.

“Nos não somos invasores os próprios agentes do SIC é que são invasores”.

Os visados garantiram a nossa reportagem que foram detidos e julgados sumariamente, na presença de um juiz do tribunal Dona Ana Joaquina, que na ocasião dos factos teve a mesma perceção sobre a invasão dos agentes do SIC, aquando da audição dos detidos.

“O juiz no tribunal disse aos homens do SIC e do Fundo de fomento Habitacional que nas condições em que fomos levados os invasores eram os agentes do SIC, porque nos estamos com um processo no tribunal, razão pela qual não podemos abandonar ainda os apartamentos”.

Para espanto dos moradores daquela centralidade os agentes do SIC é que foram arrombar a porta que da acesso ao edifício X257, e mandar retirar os bens dos visados, sendo que em contrapartida mandaram outras pessoas entrar nas residências, tudo isto foi feito sem “a presença dos funcionário da Imagestim, do Fundo de fomento habitacional nem mesmo dos responsável da centralidade do zango 5000”, denunciaram os moradores.

Nenhuma descrição disponível.
Criança mantida dentro do apartamento no Zango 5000

Entretanto dentro deste cenário também se encontram crianças menores de 12 anos, que foram postos dentro de um apartamento sem água potável e sem energia elétrica, os mais pequenos clamam por ajuda do Governo e uma vez que os seus pais estão foram e eles não sabem o que fazer “não temos comida nem água muito menos energia elétrica, queremos que o governo legaliza a nossa situação e faça com que os nossos pais voltem para junto de nós”, exclamaram os mais pequeninos.

Recordar que a centralidade do Zango 5000 foi inaugurado pelo Presidente da República João Lourenço, e possui um total de sete mil 964 habitações para albergar 47 mil habitantes.

Por: Adão dos Santos

O Apostolado Nas Redes Sociais

Twitter O ApostoladoFacebook Jornal O Apostolado

Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria