Adalberto Costa Júnior alerta que “O país esta pior hoje, do que quando João Lourenço chegou ao puder”.

O presidente da UNITA, Adalberto Costa Júnior, disse esta terça-feira (27/07), em entrevista a  RTP que o país esta em piores condições hoje, do que quando João Lourenço tomou posse como Presidente da Republica de Angola, na praça da República no dia 26 de Setembro de 2017, numa cerimonia orientada pelo ex-juiz conselheiro presidente do Tribunal Constitucional, Rui Ferreira.

Adalberto Costa Júnior – Presidente da UNITA – KUP
Líder da UNITA Adalberto Costa Júnior

Segundo o líder do maior partido na oposição, “em angola não há postura do dialogo e não há concertação politica de quem lidera”, fazendo referencia ao Partido governamental, o político defende ainda que as diferenças ideológicas não podem criar obstáculos na construção de um país unido e democrático.

Por outro lado Adalberto alerta os angolanos que “quem olhar para angola e querer andar sozinho, saiba que não vai a lado nenhum”. Tudo porque João Lourenço vendeu muita esperança aos angolanos e nada se consegue ver de melhor no país, porque “quer e esta a caminhar sozinho na condução de Angola”, frisou o politico.

O presidente da UNITA em Entrevista a Estação Televisiva portuguesa, referiu que, a maioria dos angolanos está cansada com a governação do MPLA “esta governação que levou Angola a ter fome, a procurarem água e comida na Namíbia por causa da seca no Cunene, esta governação que gasta milhões e milhões a comprar consciência em angola”.

Entretanto para Adalberto Costa Júnior é inacreditável o que o MPLA faz aos angolanos que muito deram para este país, neste sentido, o político acredita que será um favor o MPLA ir para oposição, a fim de se regenerar daquilo que são os princípios democrático”. Lembrou Adalberto.

Sobre a sua imagem que nos últimos tempos tem sido fustigada e manchada com muita frequência nos meios de comunicação social público assim como nas redes sociais. O líder da UNITA disse que “olho com tristeza o que fazem com a minha imagem, porque só angolano, e estas campanhas só mancham a imagem do Presidente João Lourenço e do próprio Executivo que muito prometeu e nada esta afazer”.

A terminar o político que poderá lidera a Frente Ampla para a Alternância, uma junção entre os partidos UNITA, Bloco Democrático e o projecto politico Pra-Já Servir Angola, explicou que não se vai a uma campanha eleitoral com ambiente não democrático e aplaudi-lo, porque “não existe país com este cenário”.

Por: Adão dos Santos

O Apostolado Nas Redes Sociais

Twitter O ApostoladoFacebook Jornal O Apostolado

Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria